19 de dezembro de 2017

"I don't wanna see you with her"


O azul do céu nos convidava pra uma praia. A noite tinha sido maravilhosa, nossa peregrinação pelos bares da Amélia Rosa. A foto na parede que eu tanto queria. Os sorrisos que não cansavam de chegar aos lábios. Eu te olhava e você me olhava. As mãos loucas para se encontrarem, os olhos que não queriam se conter apenas com aquele olhar.
Mas ela chegou. Teus olhos se voltaram pra ela, a dor invadiu o peito, o fim de semana preparado para ser perfeito, não foi bem como planejado. Ficamos bêbados, dançamos, curtimos. Eu de um lado e você do outro. Sentei, querendo que aquele sorriso fosse apenas meu. Balancei a cabeça, pensando na idiota que eu ainda conseguia ser. Bebi, enquanto tentava esquecer você. Beijei outras bocas, mas elas só me lembravam o quanto o seu beijo era maravilhoso.
A praia parecia tomar a minha dor como sua, o céu nublado assim como eu. E você, você ainda me olhava com aquele olhar da primeira vez. Suas mãos não paravam de me encontrar. O que você queria? O que você realmente quer? Você sorria pra ela e me olhava de canto de olho. Você não sabe o quanto machuca. Vocês parecem felizes e tudo o que eu queria era fugir.
"Está tudo bem?" você me pergunta. Balanço a cabeça que sim. Sem te olhar. Porque não consigo fazer isso. Não consigo encontrar os teus olhos. Me disseram para tomar cuidado com o amor. Mas ele é forte de mais e eu fraca na mesma intensidade.
Durante todo o caminho de volta fui fria com você e parece que você não se tocou. Sua mão acaricia a minha bochecha e eu me retraio, afasto o seu toque. Te ignoro. Mas você não parece notar ou não quer notar. "Tchau", eu te digo de longe, sem te olhar ou te tocar, mas você insiste em me beijar.

___Ruana Lins

15 de dezembro de 2017

"I miss my old friends"


Nós sempre estivemos esperando e acreditando na eternidade. Nós sempre tivemos a esperança de que cada centavo nosso se transformassem em ouro. Nós tínhamos uma única regra: viveríamos o presente.
Os planos eram tantos: Vamos voar pela estrada, vamos cantar, perseguir nossos sonhos ao luar, nada importava se estivéssemos juntos. Hoje, estou aqui na estrada sozinha. O vento no cabelo, a música pop no som do carro falando sobre os velhos amigos e os seus velhos sonhos. Mas todo mundo muda. uma amiga acabou de se casar, a outra está tendo seu primeiro filho. Um morreu de overdose. O outro ninguém mais ouviu falar.
Eu sinto falta de todos os momentos felizes que passamos. As brincadeiras na hora da saída, as conversas paralelas durante aquela aula de geografia. Os papeizinhos passados por baixo da mesa. A quase banda de sucesso para o trabalho de português.
Alguém me disse que acendesse todas as luzes do quarto. "Faça com que eles se lembrem de você". Mas ninguém sabe pelo que eu estou passando. Fiz novos amigos e eles são legais, mas eles nunca sabem quando eu mais preciso deles. Eles não sabem o que eu faço, o que eu tenho, quem eu sou e quem eu não sou. mas eu sinto falta... Eu sinto falta dos meus velhos amigos.

____Ruana Lins

10 de dezembro de 2017

Você ficará bem

Você ficará bem
E tudo ficará bem
A chuva logo cessará
O sol sairá
E dias melhores virão

Você ficará bem
Tudo ficará bem, pequeno
Eu ficarei a noite inteira ao seu lado
Segurarei firme a sua mãe até a tempestade acabar
O vento sussurrará cantigas de ninar
Feche os seus olhos
E deixe a chuva cair lá fora

Dias de mudança estão chegando
Você não estará sozinho,
Eu estarei lá com você
Nos dias em que não existir amor

Você ficará bem
Tudo ficará bem
Você só precisa... Continuar

___Ruana Lins

1 de dezembro de 2017

Sobre amores proibidos


Um terça cinza de novembro. Uma mensagem. "Oiii, saudade!". O coração sorrir, os lábios e olhos também. "Oiii, nossa, também estou com muita saudades!". Os dedos digitam antes mesmo que eu consiga pensar racionalmente naquela questão. "Como você está? Tenho pensado tanto em você". Os lábios sorriem ainda mais. Não, não pode ser verdade. Vários anos se passaram, nós mudamos. Você mudou. Você tem filhos agora. Não, não pode. Não podemos fazer isso.
E você sorrir. Você simplesmente sorrir. Aquela gargalhada macia, que parece preencher todas os cantos da minha alma. Que me abraça, mesmo nossos corpos estando tão distantes. Não! Isso é errado. Não, você não pode fazer isso comigo! 
A música que você fez ainda está escrita na parede do meu quarto. E ela tem sido a minha leitura noturna obrigatória. E eu penso em você e acabo me apaixonando um pouco mais. Tudo que eu queria poder dizer: "Você é o único que eu quero", mas as palavras se perdem entre o cérebro e a boca e acabo apenas ouvindo a sua risada de novo. Ela já se tornou a minha música favorita. Os meus versos favoritos, mas quando olho para o lado são outros lábios que eu beijo.

___Ruana Lins

21 de agosto de 2017

Você chegou

Você chegou de repente.
Um bolsa com câmeras fotográficas nas costas.
Um avental azul de professor.
Meu professor.

Você chegou e sorriu para mim pela primeira vez.
Eu me encantei e fiquei ali.
Fiquei ali esperando que a euforia passasse,
Esperando que o coração entendesse que não era nada.

Você chegou e tocou minha mão pela primeira vez.
Parecia que eu tinha sido atingida por raios
E de novo você sorriu.

Você chegou e me tirou do chão.
Rio das minhas piadas sem graça,
Me contou sobre a sua primeira paixão,
Perguntou sobre meus antigos namorados,
Pegou a minha mão e carregou meu coração.

Você chegou de repente.
E você sumiu...
De repente.

____Ruana Lins

20 de maio de 2017

Você voltou

Você voltou. Vi o seu ressurgimento nas redes sociais. Fiquei aliviada, sim, fiquei. Porque da forma como você foi embora parecia que nunca mais te veria de novo e quando você voltou o coração pareceu entender que a gente poderia se encontrar naquele fusca colorido que fica na Amélia Rosa ou quem sabe, na pizzaria onde trocamos conversas esperando que o beijo chegasse logo. 
Estou bem, se você quiser saber, montei a minha empresa. Tenho novos amigos, novos desafios e um pouco mais de medo e coragem.
Estou vendo a sua nova foto há um bom tempo. Você está feliz, meu lábios sorriem junto. Eu queria pode te abraçar, te ligar, mandar mensagem dizendo o quanto você fez falta. Continuar aquela noite que foi mágica. Mas muito tempo se passou. eu mudei, você mudou. provavelmente não estamos mais no mesmo lugar, na mesma sintonia. Hoje eu tenho um pouco de medo do amor e talvez tudo o que meu coração queira é que você retorne aquela ligação que ficou perdida no tempo.

16 de maio de 2017

Um lugar chamado casa

A estrada no fim da curva me mostra o quanto ainda tenho que percorrer. A janela aberta, o vento brincando com as mechas do meu cabelo, a música indie tocando no som do carro me fazendo viajar. No braço a pulseira que você me deu. Lembro de todo o esforço que você fez para que eu tivesse tudo o que eu queria, lembro do gosto da sua comida e o quanto tenho saudade das risadas na mesa do jantar. 
Lembro da sua habilidade em cuidar da gente e de trabalhar fora. Sei que você se sentiu culpada por perder alguns passos nossos, mas o que eu lembro mesmo é do teu esforço e da felicidade quando tu chegava naquela apresentação que eu estava ensaiando há dias. lembro de você aturar o som do meu violino ruim, desculpa por isso mãe, mas olha só eu melhorei muito. lembro de quando você segurou minhas lágrimas, lembro de quando eu segurei as tuas. Lembro do apoio incondicional, lembro dos conselhos dados e que eu não queria escutá-los, lembro do dia em que coloquei a mochila nas costas e você disse: Vai com Deus, filha. Seja feliz. E lá fui eu atrás dos meus sonhos.   
Estou percorrendo meu caminho, as vezes um pouco sozinha na estrada como hoje. As vezes querendo muito teu colo e de repente o celular vibra e a tua voz do outro lado acalma o meu coração inquieto.Estou chegando, de longe eu já te vejo, as mãos ansiosas que não param de se apertar e o sorriso mais lindo que eu conheço desde sempre, você acena eu paro o carro e te abraço e me deixo ali, no lugar que eu chamo de casa. Amo-te mãe! Feliz seu dia!